Portuguese

O Josué Estébanez é um jovem militar espanhol da província basca. Ele tinha 23 anos quando no domingo 11 de Novembro de 2007 a sua vida mudou para sempre.

Tudo aconteceu no metro de Madrid, na estação do Legazpi, assim chamada em honra do conquistador e fundador em 1571 de Manila (Filipinas). Como ele, o Legazpi era duas vezes espanhol, primeiro pela Espanha e segundo por ser da região Vasca.

O Josué ia até uma manifestação política reivindicativa da identidade nacional e da denuncia das políticas de imigração descontroladas, manifestação legal convocada pelo partido identitário Democracia Nacional.

Primeiro condenado pelo ódio ideológico em Espanha.

O Josué viajava sozinho e na paragem do Legazpi subiram no seu metro um grupo organizado de 70 pessoas das Brigadas Antifascistas (BAF). Armados com navalhas, punhos americanos, espetos e matracas, tinham planeado com antecipação e o seu objetivo era ir em busca daquelas pessoas definidas como social-patriotas.

Quando eles vieram Josué, o identificaram pelo sweat que levava vestida, rodearam-no, abordaram-no e ameaçaram-no; vista a gravidade da situação e o perigo em que ele se encontrava, teve que defender a sua própria vida à custa da vida de quem queria acabar com a sua.

Foi em auto-defesa, no há dúvida nenhuma, pois era ou a sua vida ou a vida dos outros. Há um vídeo que gravou o acontecido e que foi censurado e manipulado pelo sistema, difundido pelos média casualmente uns dias antes da celebração do seu juízo; foi sentenciado e condenado previamente pelos média.

O vídeo mostra como se desenrolou a agressão e a defesa do Josué, assim como a sua saída do metro e da estação, depois doutra luta desigual. Perseguido pelos seus agressores e desorientado pelo acontecido, entrega se à policia e é nesse instante, que apesar de estar sob custódia dos agentes, foi gravemente agredido pela parte dos seus agressores, da qual quase perde um olho.

Depois dum ano em prisão militar, colocaram-no, sem aviso prévio, nem a ele, nem ao seu advogado, nem à sua família, na prisão de ‘El Puerto de Santa María’ (Cádiz, Espanha), considerada uma das mais perigosas da toda Espanha e a mais de 1.000 quilómetros da sua família.

Depois do engano do juízo foi condenado a 26 anos y 7 meses de prisão, com o agravante de ódio ideológico, primeiro caso aplicado.

Atualmente cumpre a sua pena numa prisão do norte da Espanha, a ser encarregado do Talher de Barro e monitor do ginásio.

A única vitima desta história foi o Josué, um jovem que não viveu a sua juventude, um soldado forçado a defender a sua integridade física, a sua vida e além disso que foi castigado por isso.

Desde aqui queremos que não seja esquecido e pedimos a todos que difundam o seu caso.

                                              ¡¡¡Defender a tua vida não é um crime!!!

                                                                   ¡¡¡Josué Liberdade!!!

                                          red definitiva1

Facebook,  Dosseisfree Josue Libertad

Instagram,   dosseisfree

Twitter,  @Josue26oficial –  Josué Libertad

Anuncios